Caderno 2

Por, Bairros de Maceió - 07/02/2007

Carnaval em Maceió II

Baile Municipal homenageia Braguinha nesta quinta-feira

"Ô balancê, balancê/ Quero dançar com você"... Antigas canções de carnaval são eternas, como esta do Braguinha, que este ano completaria 100 anos no dia 29 de março. Para reviver os velhos carnavais de marchinhas e sambas, o Baile Municipal organizado pela Secretaria Municipal de Promoção do Turismo (Semptur) prestará uma justa homenagem ao grande compositor dos carnavais, nesta quinta-feira (8), às 21 horas, no Iate Clube Pajussara.

Autor de composições como Touradas de Madri, Balancê, Chiquita Bacana, As Pastorinhas e Linda Loirinha, Braguinha se transformou num dos maiores expoentes da música popular brasileira. Teve sua grande consagração carnavalesca em 1984, ano da inauguração do Sambódromo carioca, desfilando como tema da Mangueira. A escola sagrou-se campeã com o enredo "Yes, nós temos Braguinha".

Agora é a vez de Alagoas homenagear o maestro Braguinha no Baile Municipal que será animado pela banda Conexão Latina e a Seresta da Pitanguinha. Segundo a secretária-adjunta municipal de Turismo, Mamá Omena, o Baile Municipal já uma tradição da cidade e a abertura oficial do Carnaval 2007 será uma festa de regaste das tradições carnavalescas com a presença de Rei Momo e Rainha de Carnaval. “Cada ano os alagoanos e turistas vestem suas fantasias para brincar o frevo, samba e marchinhas, dando boas-vindas à festa mais animada, o carnaval”, disse.

A Semptur está disponibilizando, na sede do órgão (Rua Sá e Albuquerque), convites para os interessados em participar do Baile Municipal. Mais informações, pelo telefone 3336.4139

Fonte SECOM

Pinto da Madrugada faz últimos preparativos para o desfile do dia 10

“Mamãe eu quero, mamãe eu quero...”, “Ai, ai, ai, ai, ai, ai, ai, tá chegando a hora...”, “Olinda, quero cantar, a ti, esta canção...”, “Se você pensa que cachaça é água...”... Quem não está ansioso para cair no frevo e voltar a reviver os carnavais comemorados à base de muitas marchinhas que costumam embalar os passos dos foliões?

Pois bem, o Pinto da Madrugada já está com quase tudo pronto para o 8º grande desfile do dia 10, que promete reunir mais de 50 mil alagoanos e turistas de todo o Nordeste. A primeira prévia aconteceu no ano de 2000.

O carro que traz o mascote da festa, o Pinto da Madrugada, recebe os últimos retoques para sair na avenida. A ‘Pintoca’, segundo carro alegórico do bloco, também está sendo ornamentado e terá como tema os 100 anos de frevo. “Ele está sendo coberto de muitas cores, brilhos e fitas. Vai ficar lindo, tenho certeza”, garante a decoradora Silvana do Carmo.

Este ano o Pinto da Madrugada traz 15 orquestras de frevo e 650 músicos. “O Pinto da Madrugada já se consolidou como uma grande prévia carnavalesca. Começamos com cinco mil pessoas e agora já contamos com mais de 50 mil foliões brincando com a gente. E a festa não é só de Maceió. Vem caravanas de dezenas de cidades, a exemplo de Capela, Viçosa e Quebrangulo. Além disso, também contamos com os turistas de Pernambuco, Bahia e Sergipe”, comemora Eduardo Lira, um dos organizadores do bloco.


Camisas

As camisas para o bloco estão sendo vendidas num stand do Shopping Iguatemi e na Mister Frios, no valor de R$ 25,00.

“Fazemos um apelo para que os nossos foliões adquiram as camisas. É com a venda delas que nós pagamos todos os custos do bloco, como a despesa dos músicos e toda a ornamentação”, disse Eduardo Lira.

O Pinto da Madrugada foi criado pelos amigos Eduardo Lira (professor universitário), Hermany Braga (economista), Marcial Lima (Secretário de Cultura de Maceió) e Marcos David (médico)

Fonte Alagoas24horas

 

Continue navegando...

Bairros de Maceíó © 2002-2017

Curiosidade

Treze vezes vencedor do prêmio Notáveis da Cultura Alagoana - Prêmio ESPIA.

"Uma cidade que não tem memória é uma cidade sem alma. E a alma das cidades é sua própria razão de ser. É sua poesia, é seu encanto, é seu acervo. Quem nasce, quem mora, quem adota uma cidade para viver, precisa de história, das referências, dos recantos da cidade, para manter sua própria identidade, para afirmar sua individualidade, para fixar sua municipalidade." Extraído do livro Maceió 180 anos de história 5 de dezembro de 1995.

Top