Pagina Principal
  Bairros
  WebRádio Maceió 2
  WebRádio Maceió
  Galeria de Fotos
  Ruas de Maceió
  Praças de Maceió
  Canta Alagoas (Letras)
  Cd Alagoano
  Em Verso e Prosa
  Livro de Visitas
  Fale Conosco
  Alagoas Arte e Cultura
  Vida de Artista
  Podcast
  Vida de Artista na 107
  A Palavra é ...
  aempresa
  Alagoas uma má noticia
  Rádio A Voz FM 87,9
  Ruas com 2 nomes

  Gustavo Lins

  Mapa dos Bairros
  Brasão
  Bandeira
  Hino
  Links
  Praias e Lagoas
  Museus
  Logradouros
  Turismo
  Prefeitos de Maceió
  Noticias da Cidade
  Caderno 2















Untitled Document


PONTA VERDE - Alagoinhas é "demolido"

[09/07/2014]

A imponente e histórica estrutura do Alagoinhas, que há décadas marca visualmente a orla de Maceió, está com os dias contados. O local foi parcialmente cercado e o maquinário já está a postos para a "demolição", que deve ser iniciada nos próximos dias e será feita de modo quase artesanal para não impactar o meio ambiente.

No local será construído o Marco Referencial, que pretende ser um importante ponto turístico alagoano. A obra é de responsabilidade do Governo do Estado, executada pela Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinfra).

Representantes do Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU) estiveram no local na tarde desta quarta-feira (09) para vistoriar as condições de trabalho e garantir a presença de profissionais habilitados na obra de demolição do local. Mas, a engenheira responsável pela obra não foi encontrada. As informações são de que a obra só deve ser iniciada quando forem instaladas as placas de identificação da obra.

“Se a obra já foi iniciada, o local tem que ser totalmente cercado, para que não haja riscos à sociedade. A gente vê que muitas pessoas ainda vêm aqui, e a estrutura está toda ameaçada. Temos que avaliar também a segurança dos trabalhadores da obra”, explicou o diretor geral do CAU, Norlan Dowell.

Emerson Magalhães é morador da Ponta Verde e, ao saber da demolição do Alagoinhas, foi se despedir de um dos cartões postais da cidade. “Aqui era um cartão turístico da nossa cidade, sem ele parece que vai ficar faltando um pedaço de Maceió”, enfatizou o morador.

De acordo com o secretário adjunto da Seinfra, Jamerson de Lima, o trabalho no local começou no final da semana passada e é extremamente minucioso, sem a presença de maquinário pesado, por causa das várias exigências e restrições que constam na licença ambiental, cedida no início deste ano.

“Estamos tendo todo o cuidado para preservar o estuário que existe ali, não vamos poder derrubar qualquer bloco de concreto sobre os corais, por exemplo. Por isso, o trabalho é praticamente manual e deve demorar cerca de 15 dias”, explica o secretário adjunto.

Outra exigência que consta no projeto é de que não se pode perfurar nada e nem colocar novas colunas. A empresa responsável pela execução do projeto vai ter apenas que aproveitar a estrutura existente para que se possa construir a nova plataforma, que servirá de base para o erguimento do Marco Referencial.

Segundo Jamerson de Lima, o trabalho é, acima de tudo, de recuperação estrutural. “É uma obra totalmente planejada e sustentável. Ela vai contar com energia eólica e solar, reuso da água, esgoto tratável e iluminação de LED. Tudo pensado para dar equilíbrio e sustentabilidade ao projeto”, afirmou o secretário adjunto da Seinfra.



O Marco Referencial vai contar com área para apresentações artísticas, espaço para barracas de acarajé e tapioca, local para exposições e também um espaço dedicado ao conhecimento, onde será instalado um centro de pesquisa. Ainda não há prazo para conclusão do projeto.

Fonte: NTH1




[Noticia Anterior]          [imprimir noticia]           [Próxima Noticia]