Caderno 2

Por, Bairros de Maceió - 02/05/2008

FEMUSESC 2008 – 10 ANOS

Dias:
09 de maio – apresentações dos músicos selecionados e show com Roberta Sá
10 de maio – apresentações dos músicos selecionados e show com Zeca Baleiro
Horário: 20h
Local: Estacionamento de Jaraguá
Gratuito
Mais informações: 3326-3133 e 0800 284 2440

Em sua 10ª edição, Mostra de Música do Sesc terá apresentação de 18 músicas, os shows de Roberta Sá e Zeca Baleiro, além da gravação, ao vivo, de DVD

Entre mais de 200 inscrições para o Femusesc 2008 – a se realizar nos dias 09 e 10 de maio - foram selecionadas 18 músicas, que terão a oportunidade de participar da maior e mais importante mostra de música de Alagoas, que acontece no Estacionamento de Jaraguá, a partir das 20h, com participação especial dos cantores Roberta Sá (09) e Zeca Baleiro (10) – ver releases anexos.
Além da apresentação na 10ª Mostra de Música do Sesc e gravação do CD Femusesc 2008, as músicas selecionadas vão participar do projeto Circulação SESC de Música Alagoana, em shows que irão percorrer as cidades de Palmeira dos Índios, Teotônio Vilela, Arapiraca, Penedo e Viçosa, em três etapas, nos meses de setembro, outubro e novembro. Já a música selecionada pela comissão julgadora participará, com todas as despesas pagas, do Festival de Música Cidade Canção (Femucic), que acontece em Maringá (Paraná), no período de 21 a 24 de maio. O Femucic é uma das mais importantes mostras de música popular brasileira.
Em comemoração aos seus 10 anos, esse ano a Mostra vai contar com a gravação ao vivo do DVD Femusesc 2008. Confira os compositores e intérpretes que participarão da mais importante mostra de música de Alagoas [os conteudos seguem a ordem de apresentação em cada um dos dias do Femusesc].

SEXTA-FEIRA, 09/05

Música: Pisoteando Mais’eu
Compositor e intérprete: Josenildo Gomes

A música acompanha Josenildo desde a infância, pois vem de uma família de músicos, a começar por seus pais. Aos 18 começou a tocar em bandas e aprendeu a tocar o contrabaixo. Uma carreira com influências de grandes nomes da MPB como Djavan e Lenine. A sua quarta participação no Femusesc é com a composição Pisoteando Mais’eu, que faz uma homenagem a Jacinto Silva, grande músico alagoano. Josenildo Gomes já participou do Femusesc com as músicas Velha História (2005), Na Beira do Mar e Para Nelson (2006) e Ser ou Não Ser (2007).

Música: Sonzêra
Compositores: Leandro Costa e Charlene Sadd
Intérprete: Mono B

A banda Mono B teve início em 2007. A partir daí o processo de formação ocorreu de forma natural e com a produção de músicas próprias. A busca pelo som se desenvolveu com as criações de Charlene Sadd (vocalista) e Leandro Costa (baterista), compositores da música selecionada para o Femusesc 2008, Sonzêra, que serviu para o nome inicial da banda, composta também por Ciro Correia (guitarra), Saulo Guimarães (guitarra) e Ykson Nascimento (contrabaixo), além da participação nos teclados de Dinho Zampier. A música participante do Femusesc mostra muito da proposta da banda, que se resume no simples ato de construir uma boa música alagoana, misturando soul, black music, jazz e boa música brasileira. 

Música: Viola Campeira
Compositor e intérprete: Edílson Moreira (Pezão)

Com a música instrumental Viola Campeira, Pezão participa mais uma vez do Femusesc. Influenciado pelo regionalismo e sertão, a exemplo da cidade de Paulo Afonso, o músico começou na música por brincadeira, e a participação no Femusesc aconteceu por incentivo do baixista Van Silva. A musicalidade de Pezão é bastante presente no São João e em vaquejadas. E seus planos se estendem à gravação de um CD num misto instrumental e regional.
 
Música: Foi Um Sonho
Compositores: Ibys Maceioh e Marcos de Farias Costa
Intérprete: Ibys Maceioh

Ibys Maceioh é natural de Porto Calvo. Começou a aprender violão com o também alagoano Zé Romeiro, discípulo de Dilermando Reis. Entre os professores de Ibys está Turíbio Santos, o que lhe rendeu uma vaga de professor no Centro Livre de Aprendizagem Musical (CLAM), dirigido pelos músicos do Zimbo Trio, em São Paulo. Por conta disso é reconhecido como um violonista de alto gabarito. Os discos Suave e Cabelo de Milho são os dois trabalhos de Ibys Maceioh, além de uma participação no CD Zimbo Trio Convida. Ibys também passou por diversos festivais de música, entre eles a Feira de MPB, realizada no Centro Cultural São Paulo, a série Novos Intérpretes, no Museu de Arte de São Paulo (Masp) e o projeto Pixinguinha. Fazem parte da trajetória musical de Ibys Maceioh alguns shows como Uma Questão de Estilo - realizado no Centro Cultural de São Paulo e Sem Mídia Apóia os Sem-Terra - no Teatro Noel Rosa (RJ). Ibys tem influência da bossa nova, samba, jazz, blues, música nordestina, música erudita e participa do Femusesc com o choro Foi Um Sonho, uma parceria com o poeta, crítico, tradutor, livreiro e compositor Marcos de Farias Costa.

Música: Deixa o Sol Entrar
Compositor: Luciano Falcão
Intérprete: Myrna Araújo

O compositor e a intérprete participam pela primeira vez do Femusesc com a música Deixa o Sol Entrar. O pernambucano Luciano Falcão, radicado em Alagoas desde os seis anos, começou sua carreira musical aos 15, no auge dos anos 80, tocando contrabaixo e compondo em diversas bandas. Em 1996 fez parte do coral Cantarte. Já foi integrante das bandas Segredo de Estado e Máfia Nordestina. Realizou o projeto Fog com Marcus Toledo, em 2005, e no mesmo ano deu início ao curso de Música na Ufal. Atualmente está selecionando composições próprias para fazer um CD com cantoras da nova geração alagoana. Já a intérprete Myrna Araújo, de Arapiraca, começou na carreira artística cantando em igrejas evangélicas. Estuda Canto na Ufal e participa de recitais de canto lírico. Em 2006, cantou na ópera A Flauta Mágica de Wolfgang Amadeus Mozart. Participou do 18º Festival de Música Antiga que aconteceu em Juiz de Fora (MG). Faz parte do Coretfal e atualmente é regente do coral da Uneal.

Música: O Guardador
Compositor e intérprete: Guila

Guilherme Gomes, Guila, um alagoano nascido no Rio de Janeiro, participa pela quarta vez do Femusesc. O cantor e compositor já passou por bandas alagoanas como Top 44 e Da Trama. No Femusesc 2007, participou com a composição Samba. Neste Femusesc apresenta a música O Guardador, de autoria própria.

Música: Só a Carcaça - [Ouça na WebRádio Maceió]
Compositor: Rodrigo Marinho
Intérprete: Mr. Freeze

Com sete anos de estrada, a vida musical da banda Mr. Freeze ainda pode ser resumida a uma brincadeira. Ao longo dos anos, integrantes entraram e saíram, deixando suas marcas. Mr. Freeze já abriu os shows de Lan Lan e os Elaines e Nx Zero. Participou de diversos festivais de música locais, e possui presença nas coletâneas Quintal, Femusesc (por dois anos), Palco Aberto e Pop Kom. Fora da capital realizou shows em União dos Palmares, Marechal Deodoro (praia do Francês) e Arapiraca (abrindo o show da banda Cidade Negra). Realizou shows em Recife, Aracaju e Salvador - para onde tocaram para mais de 5 mil pessoas. A espera foi longa para que o primeiro CD começasse a ser gravado. Exigiu certo amadurecimento musical e outro momento não poderia ser, senão este. A Mr. Freeze participa pela terceira vez do Femusesc com a composição Só a Carcaça, do baterista da banda, Rodrigo Marinho.


Música: Malicioso
Compositores: Robison Amaral Amorim e Marcos de Farias Costa
Intérprete: Micheline

Marcos de Farias Costa assina a letra em parceria com a melodia de Robison Amaral Amorim, da canção Malicioso, que fala da história de uma mulher que vive a reclamar de um homem. O poeta, crítico, tradutor, livreiro e compositor Marcos de Farias Costa já participou de várias edições do Femusesc. Robison Amaral Amorim nasceu em Recife e durante 18 anos trabalhou com loja de discos (vinil) em São Paulo, atividade que exerceu grande influência no gosto pela composição musical e criação, sendo a maioria das músicas instrumentais e a outra parte com letras do seu primeiro parceiro musical, Paulo Viana. Em Maceió, encontrou um ambiente musical favorável. Hoje, totalmente integrado à cidade, reaproximou-se do choro, gênero musical pelo qual sempre nutriu paixão. Micheline, intérprete do samba Malicioso, participa pela terceira vez do Femusesc e há doze anos se dedica à interpretação musical. Embora tenha iniciado a carreira como cantora de forró, Micheline se relaciona bem com todos os gêneros musicais. Com uma interpretação singular e personalíssima, a jovem cantora surpreende com seu talento de “teatralizar” a letra.

Música: Real
Compositor e intérprete: Rodrigo Avelino

Para Rodrigo Avelino, participar do Femusesc é um desejo antigo. Em 2007, sua primeira participação na Mostra foi com a música Passista. Este ano, o samba Real fala sobre o amor que o homem encontrou e sente por uma mulher. O músico optou por ingressar no mundo musical há sete anos, quando interpretava canções próprias e algumas conhecidas da MPB na companhia de amigos e em eventos estudantis. Em 2003, participou de um festival promovido pela Secretaria Municipal de Cultura, abriu alguns eventos particulares, como o show de Altemar Dutra Júnior (2006) e pelo quinto ano, é um dos músicos da quadrilha Luar do Sertão.

SÁBADO, 10/05

Música: Cama de Gato
Compositor: Edilson Ribeiro
Intérprete: Cumbuca

Na estrada há aproximadamente oito anos, o grupo Cumbuca traz nas suas composições uma mistura de ritmos, dando enfoque aos nordestinos baião, forró, xote e bumba-meu-boi. Traz também em suas apresentações, sobre a responsabilidade de Mona Quirino, um colorido e um brilho pitorescos nas suas vestimentas, compondo assim parte do cenário no palco. O grupo vem participando de eventos e projetos culturais como o Teatro é o Maior Barato, Misa Acústico, Quartas Musicais, Palco Aberto, Feira da Música (Ceará), Femusesc, Artnor, dentre outros. Atualmente é composto por Nickael Ribeiro (zabumba, carron e alfaia), Thales Nilton (flautas), Ivo Farias (contrabaixo), Mona Quirino (pandeiro e triângulo) e Pica-Pau (voz e guitarra). Cama de Gato, composta por Edílson Ribeiro, é uma das músicas selecionadas para a 10ª Mostra de Música do SESC.

 
Música: Sambalagoano
Compositor: Toinho Antunes
Intérpretes: Willbert Fialho, Toinho Antunes e Bruno Palagani

A música instrumental Sambalagoano, de autoria de Toinho Antunes é interpretada pelos jovens músicos Willbert Fialho e Bruno Palagani. Willbert, natural de Pão de Açúcar, iniciou sua carreira musical ao beber das influências ribeirinhas e ouvindo da MPB à música erudita. O instrumentista traz na bagagem influências de vários ritmos, até chegar ao choro carioca e à música espanhola (flamenca), criando uma musicalidade singular dentre os violonistas alagoanos. Já acompanhou artistas locais, tocou com instrumentistas como Yamandú Costa e gravou com muitos outros músicos. Foi um dos fundadores do Grupo Poeira Nordestina, produzindo com Marcius Campelo e Jurandir Bozó o CD “demo” da banda. Produziu também, junto com Jurandir Bozó, a trilha do documentário Tabuleiro de Cana - Xadrez de Cativeiro. Bruno Palagani, baiano radicado na cidade de Maceió, conheceu o cavaquinho aos 14 anos. Ao ouvir os expoentes do choro, Waldir Azevedo, Jacob do Bandolim e Pixinguinha, começou a se interessar por este ritmo tão brasileiro. Teve como mestre e principal influência o músico alagoano Wellington Pinheiro. O músico já acompanhou grandes nomes da música nacional como Leci Brandão e Nelson Sargento.

Música: Corpo Fechado
Compositor e intérprete: Luiz de Assis

Luiz de Assis começou na carreira artística em 1998 com a banda Vibrações Rasta. Desenvolve, em paralelo, sua carreira solo, pela qual já participou de duas edições do Femusesc com as músicas Razão e Emoção (2004) e Ser Felizes (2007). Para ele participar de mais um Femusesc é a oportunidade de difundir o trabalho, que tem como meta uma temporada em São Paulo após concretizar o CD solo. A música Corpo Fechado é um funk percursivo e possui uma referência à temática negra, sua cultura e influências. Luiz de Assis, um amante do jeito nordestino de ser, preocupa-se com a valorização de suas raízes etnológicas e é um grande entusiasta do cancioneiro e sotaque alagoano, tentando unir a esses elementos a riqueza melódica da música negra mundial. O músico é acompanhado da banda Quilombagem.

Música: A Primeira
Compositor e intérprete: Osman

Osman iniciou a carreira artística em 1973, tocando bateria e cantando no grupo infanto-juvenil Milionário Jr. Fez parte das bandas Os Tremendões, Corpo e Alma e Raízes. Em 1990 lançou sem primeiro LP Tempo. Trabalhou na carreira musical durante cinco anos no Rio de Janeiro e de volta a Maceió gravou o segundo disco Outros Caminhos. Em 2001 lançou o CD Terceiro, seu último trabalho, com composições autorais e parcerias inéditas. Em 1996 foi premiado como melhor intérprete na etapa Alagoas do Canta Nordeste. Participou também do CD com composições de frevo Alagoas Meu Encanto, produzido pelo radialista Edécio Lopes. Em parceira com o produtor Sidney Adams, produziu, dirigiu e participou do Festival Rock S.A., lançando 10 das melhores bandas de rock de Maceió da década de 80. Participou também de duas etapas dos projetos Pixinguinha e Música é o Maior Barato. Este ano criou a banda Trem Bala e o mais recente projeto é a gravação de um CD e DVD ao vivo em comemoração aos 35 anos de carreira completados em 2008. Osman participa do Femusesc com a música A Primeira, de autoria própria.


Música: Pequenas Misérias
Compositores: Fernando Fiúza e Júnior Almeida
Intérprete: Básico Feito Samba

Com o desejo de buscar novas experiências e ousar pelo caminho da música, o Básico Feito Samba é formado por um grupo de amigos/músicos que se lançam num novo projeto no qual revisitam clássicos do samba brasileiro, dando-lhes uma nova roupagem, sem deixar de lado suas composições autorais. Seus integrantes já são figuras conhecidas e com carreiras bem estruturadas dentro do universo musical alagoano, que conta com a voz forte e melódica de Júnior Almeida, acompanhada da percussão cheia de personalidade de Wilson Miranda, o talento do instrumentista Willbert Fialho, a força melódica do cavaquinho de Bruno Palagani e a guitarra poderosa de Toni Augusto. Básico Feito Samba participa da 10ª Mostra de Música do SESC com a música Pequenas Misérias, uma composição do poeta e professor Fernando Fiúza e do músico Júnior Almeida.

Música: Era
Compositores: Ezra e Marcelo Mattivi
Intérprete: Ezra

Com a música Era Ezra participa mais uma vez do Femusesc. A música, uma parceria com Marcelo Mattivi, fala de recordações e traços gaúchos revelados em Alagoas. Ezra, natural de Novo Hamburgo (Rio Grande do Sul), começou a tocar violão aos 12 anos, integrou grupos de canto coral da sua cidade, é educadora musical e reside em Maceió desde 2000, quando começou a compor. Participou do Femusesc em 2003 classificando duas composições, sendo uma delas também como intérprete. Com o grupo Vestindo a Carapuça obteve classificação no Femusesc 2004, o qual recebeu como premiação a participação no Femucic, em Maringá (PR). Participou dos projetos Alagoas em Cena (2003), Palco Aberto (2005, 2006) e Quartas Musicais (2007). Também possui participação no CD Raízes, do compositor Naldinho e do CD Todas as Carapuças, do compositor Sóstenes Lima, como intérprete.

Música: Cabelo de Mola
Compositor e intérprete: Julio Uçá

Em homenagem aos cabelos cacheados, a música Cabelo de Mola, MPB contemporânea é a terceira composição de Julio Uçá a participar do Femusesc. Em 2003, ele apresentou a música A Moreninha e em 2004, Meio a Meio. O músico, natural de Palmeira dos Índios, teve seu primeiro passo no mundo musical nos movimentos religiosos. Julio Uçá já participou dos projetos Jaraguá - bairro de artes e negócios; Caça Talentos e da Feira de Música em Fortaleza (CE).

Música: Olha o Bumba Meu Boi da Terra dos Marechais
Compositor e intérprete: Lima Neto

O alagoano Lima Neto começou na música cedo, aos 14 anos e influenciado  pelo pai, músico que acompanhou grandes artistas. No Femusesc 2007, com a composição Saudade da Doida Varrida, representou Alagoas no Femucic, em Maringá (PA). Na 10ª Mostra de Música do SESC, o compositor, intérprete e percussionista participa com a música regional Olha o Bumba Meu Boi da Terra dos Marechais, uma mistura de batida de boi, maracatu e baião, que conta a lenda do boi de uma forma encanta, repleta de brincadeiras e sem medos. Lima Neto participa do Femusesc desde 2002, para ele o festival é uma porta de entrada para os músicos alagoanos mostrarem seu trabalho. O artista integra atualmente a orquestra Conexão Latina e faz parte da Cia de Teatro da Meia-Noite.

Música: Compreensão
Compositor: Marciu Cássio Junior
Intérprete: Maqiavel

No fim de verão de 2004/05 nascia a banda Maqiavel, com um novo nome, uma nova marca, um novo repertório e planos muito mais ousados, as verdadeiras razões para esse nome, a banda prefere guardar em cumplicidade, até porque o som, quase artesanalmente construído, faz desse, um detalhe quase insignificante. Maqiavel é uma banda de pop-rock que resolveu experimentar. Começaram tocando músicas dos ídolos e perceberam quanto era bem mais divertido modificar as músicas alheias e fazer delas versões. Em resultado, o show foi se mostrando completamente adaptável a quase todas as tribos. No intervalo dos ensaios, Sandra Maldita e O Caixante Viajeiro levaram a Maqiavel ao topo do ranking de bandas alagoanas no site de músicos amadores Palco MP3, uma matéria na capa do caderno cultural do segundo jornal do estado, uma classificação em dose dupla (feito raro) para o Femusesc - a vitória de Sandra Maldita no Festival de Música do SESC em 2006, garantindo a vaga para representar o estado de Alagoas no Femucic, em Maringá (PR), o que rendeu grande repercussão na mídia local. Tudo isso com apenas duas músicas. Mas, não demorou a surgir outras canções, que num único show, denominado o Caixante Viajeiro, em 13 de Dezembro de 2006 no Teatro SESC Jofre Soares, levou a banda grandes emoções. Maqiavel participa da 10ª Mostra de Música do SESC Alagoas com a Música Compreensão, de autoria do vocalista da banda, Marciu Cássio Júnior. A apresentação é uma espécie de volta comemorativa da banda, quando voltam a tocar juntos depois de quase oito meses. Completam a banda, Ulisses Rocha (teclados), Bruno Ribeiro (baixo), Bruno Queiroz (guitarra), Christian Machado (guitarra) e Rodrigo Caíres (bateria).

 

Continue navegando...

Bairros de Maceíó © 2002-2017

Curiosidade

Treze vezes vencedor do prêmio Notáveis da Cultura Alagoana - Prêmio ESPIA.

"Uma cidade que não tem memória é uma cidade sem alma. E a alma das cidades é sua própria razão de ser. É sua poesia, é seu encanto, é seu acervo. Quem nasce, quem mora, quem adota uma cidade para viver, precisa de história, das referências, dos recantos da cidade, para manter sua própria identidade, para afirmar sua individualidade, para fixar sua municipalidade." Extraído do livro Maceió 180 anos de história 5 de dezembro de 1995.

Top