] Bairros de Maceió :: Um site premiado

Guilherme Palmeira - (01.01.1989 a 31.12.1990)

História

 

Guilherme Gracindo Soares Palmeira nasceu em Maceió em 25 de dezembro de 1938. É advogado e construiu sua carreira política no Estado, sendo prefeito de Maceió, Deputado, Governador de Alagoas, Senador, Prefeito de Maceió e Ministro do Tribunal de Contas da União. Filho de Rui Soares Palmeira e Maria Gaby Gracindo, formou-se em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade Nacinnal de Direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Ao se tornar bacharel retornou ao estado, sendo eleito deputado estadual pela ARENA em 1966, 1970 e 1974. Indicado governador de Alagoas em 1978, firmou um acordo político destinado a pacificar as diferentes correntes políticas arenistas alagoanas, em especial a liderada pelo senador Arnon de Melo, que conseguiu a nomeação de seu filho, Fernando Collor, como prefeito de Maceió. Guilherme Palmeira, como Prefeito de Maceió, teve uma atuação extraordinária. Recebeu a Prefeitura com salário do funcionário público com 9 meses de atraso e conseguiu colocar o funcionalismo em dia. Convocou uma equipe de técnicos para formar seu secretariado, transformando Maceió em um canteiro de obras, fazendo uma revolução na maneira de administrar o bem público com austeridade. Em 1990, renunciou o mandato de prefeito de Maceió, quando foi eleito para o seu segundo mandato como senador da república. Morreu aos 81 anos em 4 de maio de 2020 o ministro aposentado do Tribunal de Contas da União (TCU), ex-senador, ex-governador de Alagoas e ex-prefeito de Maceió . A causa da morte não foi divulgada oficialmente.

Principais políticas criadas e implantadas pela reforma Admistrativa efetivada:
1. Criação da Secretaria Municipal de Educação;
2. Criação da Coordenação Municipal de Saúde posteriormente transformada em Secretaria de Saúde;
3. Criação da Coordenação Municipal de Turismo, semente geradora da ENTURMA e Secretaria Municipal de Turismo;
4. Criação da Guarda Municipal;
5. Unificação das Secretarias de Finanças e Planejamento para proceder a Reengenharia administrativa necessária, com a criação da Secretaria de Economia e Finanças;
6. Criação da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano,objetivando agilizar a elaboração de um Plano Diretor para Maceió e implantar suas consequentes proposições sobre o disciplinamento e racionalização do controle e crescimento urbano nas áreas mais adensadas da cidade;
7. Informatização do município (Emissão de boletos e carnês, controle e cobrança de tributos municipais; controle de folha de pagamento de pessoal e fornecedores, etc.) com a criação do Centro Municipal de Processamento de Dados;
8. Criação da COMURB – atual SOMURB – com a fusão da SUMOV e URB;
9. Elaboração e implantação de uma atualizada, planta de valores mobiliarios de toda a cidade de maceió,sem a qual seria impossível fazer à justa e racional cobrança de IPTU. Esta providencia além de incrementar a receita municipal, permitiu uma correspondente ação social aos mais pobres por isentar deste tributo todos os proprietários de imóveis cujo valor fiscal fosse igual ou inferior ao custo operacional de cobrança;
10. Atualização do cadastro de fornecedores de serviços, bem como cruzamento de informação com o Estado e a Receita Federal, visando atualizar a cobrança de ISS dos exercícios atrasados e vigente;
11. Implantação de toda a nova base fiscal de competência municipal definida pela Constituição de 1988.

Principais realizações físicas:
Graças aos esforços fiscais implementados, fazendo a Prefeitura de Maceió apresentar o maior incremento de receita entre os municípios Brasileiros n’aquele ano, foi possível realizar com recursos próprios:
01. O Pagamento de todos os salários atrasados;
02. O Rigoroso cumprimento do calendário de pagamento de salários e fornecedores;
03. A Criação e implantação de novo Plano de Cargos e salários para Professores e Fiscais de Tributos Municipais;
04. A Renegociação e cumprimento de pagamento de dividas atrasadas com a União (INSS e FGTS), bancos e fornecedores;
05. O Rejuste anual dos salários para todos os servidores do município;
06. O Recapeamento asfáltico de 58 km de ruas;
07. A Implantação e Pavimentação de 26 km de novas ruas e avenidas;
08. A Abertura e pavimentação do novo acesso a Fernão Velho ( 2,0 km );
09. O Calçamento de 56 ruas no bairro do Prado;
10. A Drenagem (galerias de águas pluviais) e calçamento de 52 ruas na Jatiúca;
11. A Construção de 92 casas para remoção de favela existente na Av. Alvaro Calheiros;
12. A Construção e recuperação de 14 praças e dois mirantes turísticos;
13. A Recuperação de todos os imóveis danificados para permitir a adequada gestão do município;
14. Construção de um mercado publico no Jacintinho;
15. A Implantação de um adequado sistema de drenagem na Av. Pedro Monteiro;
16. A Construção de um novo prédio para instalação da Secretaria de Economia e Finanças e o Centro de processamento de Dados, inclusive a aquisição de um moderno computador e softwerws  para gerenciar o novo modelo fiscal e administrativo recém implantado;

 

 

Continue navegando...

Anterior

Djalma Marinho Muniz Falcão

01.01.1986 a 31.12.1988

Ver História

Próximo

João Rodrigues Sampaio Filho_

01.01.1991 a 15.03.1992

Ver História

Bairros de Maceíó © 2002-2020

Curiosidade

Treze vezes vencedor do prêmio Notáveis da Cultura Alagoana - Prêmio ESPIA.

"Uma cidade que não tem memória é uma cidade sem alma. E a alma das cidades é sua própria razão de ser. É sua poesia, é seu encanto, é seu acervo. Quem nasce, quem mora, quem adota uma cidade para viver, precisa de história, das referências, dos recantos da cidade, para manter sua própria identidade, para afirmar sua individualidade, para fixar sua municipalidade." Extraído do livro Maceió 180 anos de história 5 de dezembro de 1995.

Top