Santos Dumont

Informações

Área: 7,08 Km2

População fonte IBGE: 20.471 hab. IBGE Censo de 2010

Quantidade de logradouros: 117

Região Administrativa: 7

Mapa do bairro para download: Clique aqui

História

O Bairro de Santos Dumont foi criado através lei municipal 4953 em 06 de janeiro de 2000. Altera a lei Nº 4.687/98, que dispõe sobre o perímetro urbano de Maceió, a divisão do município em regiões administrativas e inclui o abairramento da zona urbana e da outras providencias.

Aranldo Fontan - Prefeito em exercício  (Publicado no Diario Oficial do Municipio em 07/01/2000

 

 

 

Ponto inicial e final 
Encontro da Av Dep. Serzedelo de Barros Correia (BR316) com as avenidas Menino Marcelo, Durval de Góes Monteiro e rodovia BR 104.

Descrição do perímetro:
Do ponto inicial segue pela BR 316 (AV. Dep. Serzedelo de Barros Correia) até o ponto em que esta encontra o limite municipal de Maceió. Segue pelo limite municipal até o encontro com a BR 104. Segue por esta última até o encontro com o ponto inicial.

Nova Ceasa agrada a comerciantes e gera novos empregos 

A transferência do mercado atacadista para o bairro do Santos Dumont , a nova Central de Abastecimento de Alagoas (Ceasa), entregue pelo governo de Alagoas, em março de 2007, e uma das mais modernas do Nordeste, já é motivo de muita satisfação e reflexo de geração emprego para muita gente.
O Instituto de Desenvolvimento Agrário de Alagoas (Ideral), com o apoio da Associação dos Comerciantes da Ceasa, deu início à mudança definitiva dos comerciantes do prédio antigo para as novas instalações.

Mudança de cultura - A diretora-presidente do Ideral, Ileilda Ferreira, considerou também positiva a transferência dos comerciantes para o novo prédio da Ceasa. “A instalação dos comerciantes estava marcada para as 14h do sábado, mas às 8 da manhã a aglomeração já era gigantesca defronte do novo prédio”. A diretora diz, porém, que o maior problema enfrentado desde a transferência até essa primeira semana é conscientizar os comerciantes e a população de que o novo espaço da Ceasa atua exclusivamente no mercado atacadista.

“A Ceasa tem o objetivo de negociar tão somente com produtos no atacado, mas, por conta de mais de trinta anos de uma cultura de que tudo podia ser negociado na antiga central de abastecimento, alguns comerciantes do ramo varejista ainda insistem em querer negociar no novo espaço, o que não será permitido”, esclareceu.

Para facilitar a conscientização dos comerciantes, o Ideral já divulgou uma lista com mais de 70 produtos hortifrutigranjeiros com uma cota mínima para a venda no atacado.

A instalação das primeiras estruturas dos feirantes atacadistas nos espaços teve início com os comerciantes de frios, a montagem das câmaras frigoríficas e prateleiras das grandes lojas. O horário de funcionamento é das 23h às 14h. “Após esse horário, o nosso pessoal entra em ação para realizar a manutenção e a limpeza para receber os comerciantes às 23h, diariamente”, explicou.

Estrutura - A obra foi viabilizada com recursos próprios do governo de Alagoas, na ordem de R$ 12 milhões, e executada pelo Serveal (Serviços de Engenharia do Estado de Alagoas). “Só nas primeiras semanas a estimativa é de que tenhamos um movimento com cerca de duas mil pessoas por dia e, com isso, o Estado tende a se transformar em um dos maiores pólos do comércio atacadista da região Nordeste”, completa.

“Nos últimos 30 anos, Alagoas foi o único estado brasileiro que investiu na construção de uma Central de Abastecimento”, frisa Ileilda, acrescentando que os comerciantes atacadistas e funcionários participaram de cursos sobre a operacionalidade, em três módulos, com os cursos básicos de “Modernização Comercial”, “Relação Interpessoal” e “Capacitação Técnica para Operadores de Mercado”. Os cursos foram ministrados pelo Sebrae e pela Associação Brasileira de Centrais de Abastecimento (Abracem).

Maceió era a única capital no país com a central de abastecimento localizada no centro urbano, em um espaço pequeno e com dificuldades de toda ordem para a comercialização em grosso dos produtos hortifrutigranjeiros, sendo empecilho tanto para o deslocamento, como para a descarga dos produtos.

A capacidade atual é cinco vezes maior em relação à antiga, que funcionava próximo ao Mercado da Produção, no bairro da Levada. A área passou de 5 mil metros quadrados de extensão para 72 mil metros quadrados. A previsão estimada de movimentação operacional está em torno de 120 mil toneladas/ano ou 16 mil/mês. A nova Ceasa deve gerar aos alagoanos, só no primeiro ano de funcionamento, o equivalente a 3 mil empregos diretos e indiretos.

A nova estrutura conta com cinco galpões, 60 lojas de 60 metros quadrados e cinco grandes lojas com câmaras frigoríficas, medindo entre 300 e 400 metros quadrados. Conta ainda com seis lanchonetes e 76 banheiros adaptados para pessoas portadores de deficiência.

Um dos galpões tem 540 áreas moduladas permanentes e 90 módulos não-permanentes, que serão destinadas a comerciantes que trabalham por diária. “As instalações são de primeira qualidade e a Vigilância Sanitária Municipal aprovou sem nenhuma restrição, bem como pelo próprio Corpo de Bombeiros”, informou Ileilda Ferreira.

A Ceasa tem ainda um auditório para 150 pessoas, elevador, papelaria, farmácia e dois estacionamentos, sendo um com capacidade para 640 veículos de passeio e o outro para 160 caminhões. O espaço ganhou ainda a mais moderna balança eletrônica para caminhões no país, com capacidade para cem toneladas.

Texto: Wellington Santos

Bairros de Maceíó © 2002-2017

Curiosidade

Treze vezes vencedor do prêmio Notáveis da Cultura Alagoana - Prêmio ESPIA.

"Uma cidade que não tem memória é uma cidade sem alma. E a alma das cidades é sua própria razão de ser. É sua poesia, é seu encanto, é seu acervo. Quem nasce, quem mora, quem adota uma cidade para viver, precisa de história, das referências, dos recantos da cidade, para manter sua própria identidade, para afirmar sua individualidade, para fixar sua municipalidade." Extraído do livro Maceió 180 anos de história 5 de dezembro de 1995.

Top