Caderno 2

Por, Bairros de Maceió - 12/11/2019

Rock autoral no jardim do Teatro Deodoro

A última edição do ano do projeto Antropofágico Miscigenado acontece na próxima quinta-feira (14), às 21h

Texto de Ulisses Abílio*

Um músico que desde os anos 80 se veste de preto e canta pós-punk em Maceió, sempre lutando pela valorização da cultura rock’n’roll, assim é o Sebage. O roqueiro conta que locais para apresentações, principalmente de rock autoral, sempre foram muito escassos por aqui, mas que “sempre estivemos no teatro, fazendo shows ou no Deodoro ou no Arena, essas casas sempre nos abraçaram”, conta.

                Não é à toa que o saguão do Teatro Deodoro foi o lugar escolhido pelos roqueiros alagoanos para fundar um encontro com cara de manifesto – rebeldes como são, manifesto é o que mais se adequa – que deram o nome de Antropofágico Miscigenado. No próximo dia 14, quinta-feira, às 21h, o evento terá a última edição do ano, recebendo duas bandas: Sebage e os Lobos Uivantes e Fantasmas de Marte. Mais uma vez, o jardim do Deodoro será o palco e o evento terá um couvert artístico de R$10.

                A temporada 2019, como conta Sebage, teve grandes momentos. “Na edição Show Democrático, trouxemos de volta à cena musical o violonista e compositor Zecabêga (também conhecido como Deyves)”, conta o músico, ainda lembrando: “Outro grande momento foi o retorno da bela cantora Gal Monteiro, que há muito não realizava um trabalho solo, com as suas lindas composições”.

                A expressão da música autoral sempre motivou os roqueiros do Antropofágico. “Pensamos, eu e meu amigo Edi Ribeiro, um dos grandes guitarristas e músicos dessa cidade, de criar oportunidades de encontros entre músicos de vários ritmos e estilos, um tocando música do outro. O Antropofágico Miscigenado começou como uma alternativa de happy hour, abrindo esse espaço para o músico local interpretar, tocar suas próprias canções”, esclarece Sebage sobre a criação do encontro.

                Os músicos sempre contaram com a Diretoria de Teatros do Estado de Alagoas (Diteal), dando apoio com o local e na logística dos eventos. Na próxima quinta, o Antropofágico será apresentado logo após a abertura da exposição Apolo em Cena e da leitura dramática do espetáculo Homem ao Vento, programação que compõe a celebração aos 109 anos do Deodoro.

*Estagiário do DITEAL

 

Continue navegando...

Bairros de Maceíó © 2002-2018

Curiosidade

Treze vezes vencedor do prêmio Notáveis da Cultura Alagoana - Prêmio ESPIA.

"Uma cidade que não tem memória é uma cidade sem alma. E a alma das cidades é sua própria razão de ser. É sua poesia, é seu encanto, é seu acervo. Quem nasce, quem mora, quem adota uma cidade para viver, precisa de história, das referências, dos recantos da cidade, para manter sua própria identidade, para afirmar sua individualidade, para fixar sua municipalidade." Extraído do livro Maceió 180 anos de história 5 de dezembro de 1995.

Top